Uma flor que cura

Através de engenharia genética

Uma flor que cura
Vinca-de-Madagascar (Catharantus roseus)

Há flores que imitam outros para enganar?
Frutos e sementes
À luz das flores
Os seres humanos frequentemente beneficiámos da enorme variedade de componentes médicos que produzem certas plantas. Mas químicos do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) têm ido um passo além, ao trabalhar com engenharia genética para que algumas plantas produzem novas variantes de produtos comuns. É assim que funciona.
A pesquisadora Sarah O’Connor, lhe foi inoculado genes de bactérias a uma vinca-de-Madagascar ( Catharantus roseus), o que lhe permitiu adicionar cloro e bromo os alcalóides da vinca produz normalmente. Os alcalóides possuem propriedades farmacêuticas, mas quando se juntam compostos, como o bromo ou cloro, que podem ser os mais efetivos e seus efeitos mais duradouros. A equipe de O’Connor está interessado em um alcalóide chamado de seus ovos e filhotes que geralmente é usado no tratamento de certos tipos de câncer, como o linfoma de Hodgkin.
“Tentamos utilizar mecanismos metabolismo – aponta O’Connor – para gerar uma grande variedade de interações com produtos naturais. Se retocamos a estrutura de produtos naturais, muitas vezes, obtemos melhorias nas qualidades farmacêuticas”. O estudo foi publicado na revista Nature.

About the Author