O móvel é ruim para a saúde?

Pergunte aos pesquisadores e vai de viagem

O móvel é ruim para a saúde?
Ainhoa Goñi (do departamento de Imprensa do CSIC) pergunta em vosso nome, Alejandro Úbeda.

arcos magnéticos.
pergunta móveis nocivos
Perguntas ao CIDADÃO sobre a natureza
No passado dia 15 de outubro, às 4 da tarde vosotr@s!@s saístes de dúvidas, graças a dois vultos no tópico: qual é prejudicial para a saúde a falar no celular? Deixastes aqui abaixo, nas caixas de comentários, e em nosso fórum Quonectad@s do Facebook, as perguntas que quisisteis. As duas melhores se as fizemos os pesquisadores e as gravamos em vídeo para que tod@s as viérais.
E, como a cada mês, QUO e o Conselho Superior de Investigações Científicas escolheram a melhor pergunta de as duas para o terço, grátis, para conhecer um dos centros de investigação do CSIC. Desta vez, a melhor questão foi colocada no Facebook por Miguel González, que perguntou: “As antenas exteriores, em que os terminais móveis facilitam a comunicação com a rede, por isso que o terminal enviará com menor potência. Ao fazê-las internas, exige mais potência para ligar. Por que se retiraram as anenas externas dos terminais móveis? Prevaleceu o tornar mais atraente o produto, em frente à maior radiação que supõe o cérebro do usuário?
A oportunidade de perguntar a nós tivemos a ter durante o debate Radiofreqüências e saúde, que organiza o CSIC, dentro do ciclo de debates científicos que começou no mês passado, e em que a QUO e a Cadena Ser ( Ser Curiosos) abraçaram também. Na ocasião, fizemos os cientistas as duas melhores perguntas que dejásteis sobre os transgênicos.
Desta vez foram Antonio Fernando, diretor do Instituto de Magnetismo da Universidade Complutense de Madrid, e Alexandre Úbeda, do departamento de Pesquisa do Hospital Ramón y Cajal da mesma cidade, que debateram sobre como as ondas que produzem as telecomunicações, o micro-ondas e muitos outros dispositivos podem ou não causar doenças. E se se cumprem as leis que regulam estas emissões.
Aqui tem os vídeos das duas perguntas finalistas, respondidas pelos dois especialistas em exclusivo para a QUO.

São mais nocivos que os móveis que não têm antena? Por Miguel González.

É perigoso expor-se aos arcos magnéticos de segurança? Por Adrián Fernandez Roíz.

About the Author