O gene do coração

O descobriram cientistas espanhóis

O gene do coração
Um dos objetivos da ciência médica neste século é a medicina regenerativa. A pesquisa nesta área permitirá conseguir que diferentes órgãos do nosso corpo possam recuperar tecidos perdidos, seja após um acidente, queimaduras ou um infarto.
A espanha é uma referência mundial neste campo. A última prova foi realizada por pesquisadores da universidade de Málaga, que foram publicados na revista Nature Genetics um estudo sobre Wt1, um gene diretamente envolvido na formação das artérias coronárias, essenciais para o funcionamento e a vascularização do coração.
A equipe, liderada pelo Dr. Ramón Muñoz Chápuli, mostrou que quando o gene Wt1 é inativa em ratos, os embriões mutantes não fazem rim, nem o perispírito, nem baço. O curioso é que esses embriões não morrem por problemas renais, mas cardíacos.
De acordo com Chápuli o Wt1es fundamental “para que se vão diferenciando os precursores das artérias coronárias, essenciais para o funcionamento e a vascularização do coração. O interessante é que, quando as células-tronco embrionárias não têm o gene Wt1, nos corpos embrionários derivados delas não se encontra vestígio algum de células cardiovasculares. Além disso, nos surgem uma infinidade de perguntas, como, por exemplo, o que é o que regula esse gene, que está acima dele e que é o que ativa?”
Fonte informação: Uciencia-Universidade de Málaga.

About the Author