La epilepsia

A sofreu Santa Teresa

La epilepsia
Libertação dos endemoninhados de Irbid, Códice Áureo (1043-1046).

Falar sozinho não é loucura
Ler muda a mente
Seu cérebro pode mover objetos
Corpo saudável da mente sã
A falta de explicações científicas sobre os problemas da mente (até há pouco tempo, o cérebro era um enigma médico), recorreu-se a atribuir uma origem sobrenatural. A epilepsia é o caso mais evidente. O que chama a atenção de seus sintomas, fez com que se considerasse que a sofriam como endemoninhados ou, no extremo oposto, como místicos. João José Ruiz Ezquerro revê no livro Epilepsia: história, lenda e arte a evolução desta doença e lembre-se de algum caso marcante, como o de santa Teresa de Jesus. Seus episódios de êxtase hoje teriam sido diagnosticada como epilepsia.
Segundo João José Ruiz Ezquerro, “a santa, como Dostoiévski e, provavelmente, outros personagens históricos, como Joana d’arc ou Maomé, foram o que hoje é chamado de epilepsia estática ou extásica”. O escritor russo descreveu os sintomas prévios à crise em alguma de suas obras. Falava de um sentimento de harmonia e felicidade absoluta: “Sinto que o céu desceu à terra e me envolve. Todos vós, pessoas saudáveis, nem sequer suspeitais o que é a felicidade, que vivenciamos os epilépticos por um segundo antes de um ataque”.

About the Author