Doenças mais visíveis

Ressonâncias magnéticas mais fiéis

Doenças mais visíveis
Uma ressonância magnética.

clones diagnóstico pré-implantação
Doutor COMPUTADOR
Um sistema baseado em nanotubos de carbono permitirá melhorar as imagens por ressonância magnética. Desta forma, você pode medir com mais precisão as alterações do fluxo sanguíneo, facilitando um diagnóstico mais precoce e preciso para doenças como o cancro, a aterotromobosis ou a isquemia cerebral e cardíaca, principais causas de mortalidade nos países desenvolvidos.
O novo método, publicado no último número da revista Angewandte Chemie, foi desenvolvido por uma equipe de pesquisadores do Conselho Superior de Investigações Científicas (CSIC) e a Universidad Nacional de Educación a Distância (UNED). Os nanotubos são estruturas muito pequenas, de um nanômetro de largura e 150 ou 200 de largura (um nanômetro é um bilionésimo de um metro).
A pesquisa, que deu lugar a uma patente do CSIC, encontra-se ainda em fase experimental, mas os pesquisadores confiam em encontrar um parceiro que lhes permita ampliar a pesquisa em animais e, posteriormente, para a fase clínica.

About the Author